Você acredita em destino?

Pois bem, ontem eu estava tranquilo e relaxando em minha cama quando o destino bateu à minha porta. Na verdade não era o destino, tampouco o Dr. Destino. Nem bateu à porta. O que aconteceu foi a campainha de casa gritando as 11 da madrugada de um domingo. Um frio do inferno e eu me esgueirei até a janela da frente para apenas espiar quem poderia estar cometendo tal sacrilégio de incomodar o santo descanso dominical. Infelizmente os seres que tocaram a campainha estavam espreitando por qualquer movimentação e perceberam o movimento da cortina, denunciando minha presença. Me obriguei a descer até a sala e abrir a janela para perguntar aos viventes que diabos eles queriam.

Continue Reading →