Dinheiro. :$: Não, isso não é um post sobre como ficar rico, mas como eu estou retomando o controle sobre as minhas suadas verdinhas… ou eu deveria dizer azuizinhas?

Eu sempre mantive o hábito de controlar minhas finanças. Nos primórdios, quando eu tinha apenas alguns trocados fornecidos pelo meu pai eu já me iludia usando o Money Talks 98, que veio como software completo na Revista do CD-ROM 40 (incrível como essa revista ainda existe). Eu até gostava do programa, mas como eu registrava cada movimentação financeira, acabava por desistir de usá-lo corretamente. Sim, sei que a idéia É registrar cada movimentação financeira, mas quando você tem cerca de 14 anos e suas movimentações financeiras se resumem a comprar guloseimas na banca de doces perto de casa, isso se torna meio inconveniente.

O tempo passou e acabei virando adepto das planilhas eletrônicas. Eu já não controlava cada centavo que gastava, mas ao menos tinha idéia de quanto ia gastar, sabia a média das minhas contas (água, luz, telefone) e chorava ao ver no fim de cada ano quanto eu já havia gasto com aluguel. Mas eu sentia que faltava algo. Encontrei o Mint, que tem um recurso muito foda, que acaba por ser sua limitação. Ele precisa ser ‘conectar’ à sua conta bancária para ler as informações, função essa que não existe no Brasil, o que impossibilita o uso dele. Então que eu descobri o FinanceDesktop.

Para começar, diferente de outros gerenciadores financeiros, o FinanceDesktop é gratuito, basta apenas um cadastro e o download está disponível. Ele não se conecta à nenhuma das minhas contas bancárias (eu não tenho conta corrente no Bradesco), mas ele pode importar os extratos e isso é uma mão na roda. Após configurar a classificação automática tudo fica ainda mais bonito, já que você identifica rapidamente o que é taxa bancária, o que são juros, o que são taxas de serviço, o que é taxa de taxa e o que sobra. Posso lançar todas as contas à pagar e à receber que tenho e quando os lançamentos são cruzados o programa já identifica a relação entre eles. Consigo verificar com facilidade o meu saldo futuro e prever quando vou ficar sem um puto no bolso, assim eu já posso ir me desesperando de antemão e começar a ir chutando os cachorros pelas ruas. Existem várias outras funções das quais nunca cheguei perto, como os maravilhosos gráficos de pizza, de torta e de bolo para que você possa descobrir se gasta mais em balas de jujuba ou de goma. Os relatórios também ajudam muito a planejar aquela viagem de fim de ano ou saber onde eu quero sair do vermelho primeiro. Outro ponto interessante é a existência de um Simulador de Ações, assim você pode praticar e aprender a investir antes de perder seu dinheiro. Não, eu ainda não estou fazendo isso.

Estou usando o FinanceDesktop a aproximadamente 3 meses e já estou bem mais animado, as previsões estão bem otimistas e se tudo der certo, até 2013 eu já terei saído do vermelho. A menos que o mundo acabe em 2012.