Você acredita que tem controle sobre sua vida? Ou acredita que tudo já está escrito e nada pode ser alterado? O criador está te castigando por não ter sido tão bom em uma vida anterior ou colocaram seu nome na boca de um sapo?

The idea that God is an oversized white male with a flowing beard who sits in the sky and tallies the fall of every sparrow is ludicrous. But if by God one means the set of physical laws that govern the universe, then clearly there is such a God. This God is emotionally unsatisfying… it does not make much sense to pray to the law of gravity.

— Carl Sagan

Na psicologia, Locus de controle é um termo que refere-se às crenças de uma pessoa sobre os resultados em sua vida, sejam eles bons ou ruins. O Locus (do Latim, local) pode ser tanto interno (o que significa que a pessoa acredita que ela possa controlar a sua vida) ou externo (ou seja, eles acreditam que o ambiente, algum poder superior ou outras pessoas controlam as suas decisões e sua vida).

Pessoas com um forte Locus de controle interno acreditam que os resultados obtidos vem de suas próprias ações e seu comportamento. Já os que tem um grande Locus de controle externo, acreditam que o destino, a sorte ou outras forças determinam os resultados alcançados na vida. Aqueles que tem Locus de controle interno controlam melhor seu comportamento, geralmente de uma maneira mais política; são mais propensos a assumir que os seus esforços serão bem sucedidos e também são mais ativos na busca de informações e conhecimentos relativos à sua situação.

Por exemplo, estudantes universitários com um forte Locus de controle interno podem acreditar que suas notas foram conseguidas através de suas próprias habilidades e esforços, enquanto aqueles com um forte Locus de controle externo podem acreditar que suas notas são o resultado da boa ou má sorte, ou a um professor que elabora provas ruins, daí, eles são menos propensos a esperar que os seus próprios esforços resultarão em sucesso e, portanto, é menos provável que se esforcem para terem notas melhores. Devido à localização fora de seu controle, externos tendem a sentir que têm menos controle sobre seu destino. Pessoas com um Locus de controle externo tendem a ser mais estressadas, mais propensas à depressão clínica e têm tendência a sentir-se impotentes ao crer que não podem controlar nada do que acontece seu redor.

O desenvolvimento de locus de controle está associado ao estilo da família e aos recursos disponíveis, estabilidade e experiências culturais com o esforço levando a recompensa. Muitos internos têm crescido em famílias que modelaram crenças internas. Estas famílias enfatizaram o esforço, educação, responsabilidade e o pensar. Os pais normalmente deram a seus filhos recompensas que lhes haviam prometido. Em contraste, externos são típicamente associados com baixa condição socioeconômica. Sociedades sofrendo distúrbios sociais aumentam a expectativa de estar fora de controle, então as pessoas em tais sociedades se tornam mais externos. Pesquisas sugerem que “as crianças em grandes famílias monoparentais chefiadas por mulheres são mais propensas a desenvolver um Locus de controle externo”.

A medida que as crianças crescem, adquirem competências que lhes dão mais controle sobre seu ambiente. Em apoio a esta pesquisa, foi constatado que as crianças mais velhas têm mais Locus de controle interno do que as crianças mais novas. Os resultados de estudos iniciais sobre as origens familiares do Locus de controle foram resumidos por Lefcourt: “Carinho, apoio e incentivo dos pais parece ser essencial para o desenvolvimento de um locus interno”.

fonte